Loading...

quinta-feira, 1 de julho de 2010

O PROFESSOR E A PRÁTICA EDUCATIVA

Um professor pode conhecer Psicologia e não se realizar na profissão. Mas também jamais será um bom professor se não tiver feito um estudo do comportamento humano e do desenvolvimento individual.
Apenas o conhecimento de psicologia não poderá responder pelo sucesso na prática, evidentemente. O educador, como já vimos, tem que Ter uma cultura geral média, tem que conhecer muito bem sua disciplina e possuir certos traços de personalidade que lhe permitam exercer algum tipo de liderança. Além de ser um homem voltado às ciências, à filosofia, às artes e à tecnologia, tem que ser um artista. Mas, em que consistirá sua criação? Em selecionar, codificar e transmitir de forma tal que os alunos possam receber, decodificar, interpretar, talvez modificar, e aplicar as informações, as teorias e as técnicas expostas. E esse trabalho de assimilação, seleção e síntese do que a cultura tem de melhor é tão importante como qualquer pesquisa ou descoberta científica, além de ser, em muitos aspectos, mais cansativos. Tanto isto é verdade que nas mais adiantadas nações do mundo os professores são aposentados com menos anos de trabalho que qualquer outro trabalhador.
Para que possam passar da teoria à prática, sempre renovando-a, os professores precisam conhecer dados da Didática Geral e da Especial.
O Campo da didática
O campo da didática Geral ( pois a Especial limita-se à aplicação dos dados da Geral no setor específico de cada disciplina) engloba o educando (ser que orienta as aprendizagens, como incentivador), as matérias de ensino ( cujos dados devem ser resumido de acordo com as possibilidades dos educandos, sendo também selecionados e programados) e o método de ensino ou linha de ensino ( conjugação de todos os meios seguros e eficientes para se atingir os objetivos).

Um comentário:

  1. CORRIDA SECA SECA de GEY ESPINHEIRA
    Equipe Petinha BArreto: BEBELA, DÉBORA FONTES , JOÃO ESPINHEIRA...

    ResponderExcluir

ARTE EDUCAÇÃO. No seu trabalho criador, o indivíduo utiliza e aperfeiçoa processos que desenvolvem a percepção, a imaginação, a observação, o raciocínio, o controle gestual. Capacidade psíquica que influem na aprendizagem. No processo de criação ele pesquisa a própria emoção, liberta-se da tensão, ajusta-se, organiza pensamentos, sentimentos, sensações e forma hábitos de trabalho. Educa-se.
Ser arte educador é doar-se Débora Fontes
www.deborafontes.ning.com